inveja

INVEJA – O Pecado Brasileiro

Mal Secreto, livro do escritor Zuenir Ventura, sobre a inveja, relata a pesquisa do IBOPE- Instituto Brasileiro de Pesquisa, de opinião pública sobre a inveja. Zuenir conta de forma brilhante e encantadora esse processo, como o das entrevistas da sua pesquisa pessoal, oferece relatos de histórias humanas incríveis, viu e participou de fatos peculiares interessantíssimos – jornalista que é. Feita de 17 a 22 setembro de 1997, exclusiva para o autor, desnuda a realidade da inveja no Brasil – o pecado brasileiro, como pode-se comprovar:

“Pesquisa de opinião pública sobre os 7 pecados capitais’
Total – 2000 entrevistas
Universo pesquisado: população do Norte, Nordeste, Centro Oeste, Sudeste e Sul, capitais e interior,
Municípios de até 20 mil habitantes, de 20 a 100 mil, e de mais de 100 mil habitantes.
Grupos de idades de 16 a 24 anos, de 25 a 34anos, de 35 a 44 anos, de 45 a 54 anos e 55 ou mais.
Classificação econômica: Classe A1 e A2, Classe B1 e B2, classe C e classe D/E

Para perguntas espontâneas, “quais são os 7 pecados capitais”, mais de 80% não conheciam ou não souberam nenhum.(!)
Quando os pesquisadores mostraram as cartelas com os 7 pecados capitais e perguntaram “quais deles conhece ou lembra?”
73% reconheceram inveja. A preguiça 59%, a ira 48%, a gula 45%, a luxúria 39%, a soberba 37% e a avareza 30%.
Com que freqüência praticavam , se é que praticavam, cada pecado, com as opções: freqüentemente/de vez em quando/raramente/nunca
83% nunca cometeram pecado da inveja,;1% freqüentemente;7% de vez em quando;7%raramente
Os aspectos que causam inveja:
34% sucesso (pessoal ou profissional); 25% bens materiais (casa, carro); 24% valores morais (honestidade, coragem, integridade); 22% atributos físicos (beleza, simpatia);19% status sócio econômico (classe, situação financeira); 14% fama; 13% poder.
Percebiam ou não que alguém sentia inveja dele/dela: 65% sim e 35% não
Entre pessoas com grau de instrução superior, a percepção chegava a 75%
58% dos que recebem até 2 salários mínimos percebem e 60% membros da classe D/E percebem
O que você faz contra mau olhado: 54% nada; 38% rezar, fazer orações.
A inveja é o pecado mais conhecido em todos os níveis e classes sociais, em todos os níveis de instrução, em todas as idades, todos os lugares e por ambos os sexos. Está expressa na pesquisa exclusiva mais abrangente e completa já realizada. É O PECADO BRASILEIRO[Ventura, Z, Mal Secreto, 1998] .

Zunir Ventura também fez a sua própria pesquisa, enviando um questionário extenso, com perguntas de múltipla escolha e outras descritivas sobre a inveja para 50 psicanalistas, número igual de padres e de pais e mães de santo, por considerá-los profissionais que tem mais informação e familiaridade com a inveja, por estudo e experiência com seus fiéis e clientes. Dos psicanalistas recebeu mais de 50 respostas, que permitiram à sua assessoria tabular dados, confirmando a pesquisa:
92% dizem que a inveja aparece de forma indireta no processo de análise,
39% afirmaram que é independente de classe ( 20% que disseram ser a classe média onde mais se relata). O que o invejoso mais deseja é o fracasso do invejado, com 62 % das respostas;
O ressentimento é o sentimento mais presente nos que invejam (37%) seguido da impotência (29%).
48% das pessoas usa algum tipo de amuleto para se proteger e
46% responderam que a inveja é o pecado que ocupa o 1º lugar entre os clientes;
66% do psicanalistas responderam que a inveja é o pecado mais conhecido dos brasileiros.
O mais é invejado: sucesso (19%) seguido de atributos físicos (10%). Bens materiais (6%) e status sócio-econômico (5%) são mais invejáveis do que valores morais (só 1%)

Finalmente, nos terreiros(centros) de Umbanda e Candomblé, o autor encontrou espaços freqüentados por devotos/fiéis de todas as classes sociais, de qualquer cor, onde além de aconselhamento espiritual , pais e mães de santo fazem trabalhos para “fechar” o corpo. Um dos pedidos mais comuns, ele ouviu, é proteção contra o “olho gordo”, sinônimo popular de inveja.
Foi dito a ele que a freqüência do pedido e a crença da população na necessidade de proteção contra inveja é ampla, abrangente e geral. Todas as classes, ambos os sexos, todas as idades. Zuenir Ventura escreve o que as Mães de Santo afirmam: quem se sente muito invejado são em geral pessoas invejosas.[Ventura, Zuenir Mal Secreto, 1998 – O autor generosamente cedeu os dados para este livro, tanto desta pesquisa do IBOPE quanto da que ele mesmo fez:] Esse escritor imortal, membro da Academia Brasileira de Letras, registrou com grandeza, elegância e leveza bem carioca nosso Mal Secreto, o pecado brasileiro.

Uma outra pesquisa, exclusivamente para estudo acadêmico, foi feita com estudantes do Brasil e Estados Unidos para testar a eficácia do questionário DES – Dispositional Envy Scale , ou Escala de Disposição para Inveja – que foi aprovado e considerado eficaz. O estudo também comprovou a relação negativa entre o quociente de DES e satisfação, vitalidade e felicidade. Quanto mais alto o DES, menor a alegria e felicidade (sabemos que inveja diminui a capacidade de pensar e agir, a potência do indivíduo, sua auto preservação, e que quanto mais alto o DES, maior o ataque a si mesmo). O teste, muito simples e eficaz, consiste em oito questões, que a pessoa responde numa escala de 1 a 5 em que 1 é discordo fortemente e 5 é concordo fortemente. As perguntas do teste são[http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_serial&pid=2011-2084&lng=pt&nrm=iso]:

– Eu sinto inveja todo dia
– A amarga verdade é que eu geralmente me sinto inferior aos outros
– Sentimentos de inveja constantemente me incomodam
– É tão frustraste ver algumas pessoas terem sucesso tão facilmente
– Não importa o que eu faço, inveja sempre me aflige
– Eu sou perturbado com sentimentos de inadequação
– De algum modo, não é justo que algumas pessoas pareçam ter todo o talento
– Francamente me ressinto do sucesso de meus vizinhos

Fica o convite ao leitor para responder as perguntas, em que as respostas mais próximas 1 discordam da sentença, e as próximas ou iguais a 5 são as que confirmam as afirmações. Fortemente. Fica também o alerta que todos os seres humanos tem inveja, o objetivo do teste é identificar o NÍVEL de inveja. Se perceber seu nível alto, com fortes concordâncias, seu sentimento de felicidade está baixo. Leia os últimos capítulos com atenção.

Coach e mentoria em inteligência cognitiva

Inicio agora o trabalho de coach e mentoria através da analise das suas inteligências cognitivas,  individuais, e o seu direcionamento pessoal  – dentro do conjunto de áreas da experiência humana.   Ao identificar as direções da sua atenção, podemos verificar áreas de potenciais e facilidades, estimulando-as, e trabalhar as deficiências, para aprimorar a sua capacidade de resposta e realização.

Em um único encontro você conhece seus pontos de excelência!

Como você vê o mundo, e como aproveitar isso no seu mais alto nível – e corrigir algumas deficiencias que podem atrasar seu caminho.

ngrct@yahoo.com.br

(21)98191-0879